Bem Vindo à Loja Virtual !

Livro O intelecto em Ibn Sina (Avicena)

Seja o primeiro a comentar este produto

Disponibilidade: Em estoque

R$88,40

Descrição Rápida

Panorama: Trilogia de Estudos sobre Avicena


O livro Os sentidos internos em Avicena faz parte da trilogia de estudos sobre três áreas de seu pensamento que estão intimamente ligadas: a Psicologia, a Epistemologia e a Metafísica. Neste primeiro livro são apresentadas a vida e a obra de Avicena e as principais características de sua Psicologia. Os sentidos internos são as faculdades da alma que se localizam no cérebro, tais como a memória e a imaginação. O estudo abrange, também, as dimensões do desejo e da cognição. Médico e Filósofo, o modo como Avicena pensa o humano engloba tanto o corpo como o a alma, fazendo de sua Psicologia uma abordagem psicossomática por excelência. O livro também traça um percurso histórico de sua obra O Livro da Alma e de sua influência na Ciência e na Filosofia da Europa pré-renascentista.


O livro O intelecto em Avicena é o segundo estudo sobre a trilogia de sua obra filosófica que interliga as áreas da Psicologia, Epistemologia e Metafísica. Nesse caso, a análise recai sobre a questão do intelecto humano e o modo pelo qual ele compreende a realidade das coisas. Depois do estudo dos sentidos internos (imaginação, memória etc.) a faculdade do intelecto é considerada a mais específica dos humanos, ligando-os à natureza mais profunda do Cosmos. O livro apresenta a natureza da alma humana, suas diversas faculdades e, ao final, indica as razões pelas quais o intelecto humano pode sobreviver à morte do corpo. A imortalidade da alma, ou ao menos de algumas de suas faculdades, finaliza o estudo já às portas da dimensão metafísica da existência.


O livro Inteligência e Metafísica coroa o estudo da trilogia de estudos sobre as três áreas da Filosofia de Avicena: Psicologia, Epistemologia e Metafísica. Neste livro, o estudo recai sobre a Metafísica, mais especificamente sobre as conexões do intelecto humano com as inteligências cósmicas e, por meio delas, com o princípio inteligente que se encontra presente em todos os aspectos da realidade. Conectando, assim, o humano ao Cosmos, Avicena traça um roteiro de origem da existência humana, a condição da alma junto com o corpo e sua existência além do corpo. Nesse cenário, Avicena teoriza não só a respeito dos caminhos da alma humana, mas também escreve sobre o papel da sociedade, das cidades, da ética e da política no percurso individual e coletivo da espécie humana em busca da felicidade.


A questão do intelecto não vem isenta da história da filosofia, mas em sua aurora já finca raízes, pois, filosofar, em última análise, é inteligir. Explanar a respeito da passagem das percepções sensoriais particulares para as percepções inteligíveis universais não deixou de se constituir em árdua tarefa para os primeiros filósofos. Lacunares indicações deixadas por Aristóteles em seu  Sobre a Alma  a respeito do intelecto que produz todas as coisas e do intelecto que se torna todas as coisas abriram a arena das múltiplas interpretações germinadas na escola peripatética, da qual a falsafa em geral e Ibn Sina (XI d.C./ IVH.), em do intelecto agente dividiram os filósofos de modo abrupto e mesmo simplista em imanentistas e transcendentalistas. Alexandre de Afrodísia teria identificado o intelecto agente a Deus, Temístio mantivera-o como uma faculdade da alma, Teofrasto pareceu apontar uma simultaneidade e Al-Farabi o alçou à décima esfera cósmica. O ápice medieval foi a luta de Tomás contra os “averroístas” latinos, quase assim, uma luta entre Deus e os homens para se saber: quem pensa, afinal? A recuperação da filosofia de Ibn Sina, a partir do texto original árabe, lança novas luzes a essa discussão; isola interpretações simplistas, apontando para um processo mais complexo de simultaneidade entre o sensível e o inteligível; repõe a tradição árabe da filosofia de volta ao seu lugar, relativiza a leitura que a tradição latina fez de Avicena e dá ao leitor de língua portuguesa a oportunidade de acompanhar um estudo detalhado e amplamente documentado a respeito de uma questão atual da filosofia. Escrita em árabe, por Ibn Sina. A questão do intelecto na obra de Ibn Sina teve grande repercussão no Ocidente medieval latino e no mundo árabo-islâmico.  Diversas passagens importantes são apresentadas numa tradução inédita do árabe para o português, acompanhadas da tradução latina medieval. O autor dedica atenção especial à seção 5 do capítulo V, em que é explorada a noção de “intelecto agente”, tópico importante da história da filosofia.


Miguel Attie Filho, nascido na cidade de São Paulo, é  Filósofo e Escritor.

Livro O intelecto em Ibn Sina (Avicena)

Detalhes

Segundo livro da trilogia a respeito da filosofia de Avicena. Editora Ateliê, 2007. 16 X 23 cm

Tags do Produto

Utilize espaços para separar tags. Utilize aspas simples (') para frases.